arquivos 
memória Trópis

provisório permanente
antropofagia urbana
brasilês

Este site foi colocado no ar em 29.11.1999 por Gunnar Vargas, band-leader do Provisório Permanente, e chegou a ser atualizado com informações sobre shows no correr de 2000. Depois, ficou totalmente defasado com a permanência de Gunnar e da vocalista Paula da Paz em Maceió durante todo o ano de 2001.

Em maio de 2006 trazemos de volta ao ar por trazer toda uma riqueza de informações sobre a história da própria banda, da Trópis - e de muita gente!

 

PROVISÓRIO

PERMANENTE

B
R
A
S
I
L
Ê
S

Nesta página você verá quem já PROVISORIOU um pouco por aí e quem continua PROVISORIANDO.

 

Marly Lana vai para a Alemanha, Ana Estrella parou de cantar, entrando no grupo de dança Baila Montes.


SARAH MOURA e seus improvisos de garganta negra, encantava todos que ouviam; cantou no Provisório Permanente no ano de 99;



O Provisório Permanente faz o último show do ano no teatro do Centro Cultural, com dois músicos convidados, Valter no baixo e Mi de Lima na bateria e dois músicos do Provisório Permanente, Paula da Paz e Gunnar Vargas.


No finzinho de 98 entra a Sarah Moura no Provisório Permanente, que vira um trio acústico, tocando em bares e em eventos do Motoclube Escorpiões. Sarah Moura sai do Provisório Permanente no meio de 99 depois de uma discussão.

MI DE LIMA, baterista da banda Bando Central, tocou no Provisório Permanente com sua ginga e pegada de funk inconfundível durante os anos de 98/99;

 

Gunnar Vargas mostra algumas composições para o baterista Mi de Lima, e juntos começam a ensaiar, dois meses depois entra o baixista Léo Sousa, formando assim um quarteto de uma mistura de Jazz, Funk, etc.

LEO SOUSA , baixista da banda MVA, tocou no Provisório Permanente com uma jogada de jazz impressionante durante o ano de 99;


Em junho o Provisório Permanente abre o show do Zé Geraldo; em agosto inaugura um novo espaço cultural do PT; no fim de agosto toca no teatro do Centro Cultural Monte Azul e na festa dos sete anos da Trópis, onde Tar Di Mug toca percussão; em setembro toca em Pinheiros na Danceteria Ipsis Club(show beneficiente para entidade de crianças com cancer); no final de setembro inaugura uma associação no Campo Limpo; em outubro fazem acústicos no sarau do KVA e em dezembro fecham o ano tocando no Movimento Jah.


Último show do quarteto, Léo Sousa e Mi de Lima saem do Provisório Permanente, desta vez sem discussões.

 

 

WAGNER DEMÉTRIO, entra com sua voz soul, na virada e afirma a embolada do Provisório Permanente, mais um toque especial para o grupo que renasce com mais uma formação;

 


Começo do ano 2000, entra Wagner Demétrio no vocal e Junior na percussão, os ensáios estão ótimos, confira os shows que virão na
página de shows!

 


JUNIOR, no embalo da virada, entra com tudo na percussão, funk, samba, forró e outros mil que inventa a cada dia;

 


O Provisório Permanente tem como filosofia musical, o incentivo à parte artística/criativa (deixando de lado as pré-definições musicais).

E tem o intuito de mostrar uma nova visão da música, não apenas como lazer, mas de uma capturação de valores humanos esquecidos e/ou omitidos pelo cotidiano sem fôlego, que é imposto na vida atual,


e é por isso que o Provisório Permanente faz parte da Trópis iniciativas sócio-culturais, pela identificação de ideologias, por olharem para uma direção em comum...


PAULA DA PAZ trouxe a espontaneidade e o sal das praias de Maceió, reinterpretadas por São Paulo, na presença e na voz que usa no Provisório
Permanente desde 98;

O Provisório Permanente acredita que existe uma forma de "viver" que é "a favor da vida", e acredita que a cultura, as Organizações Não Governamentais são veículos para alcançar
essa forma de viver.

 

GUNNAR VARGAS no violão, voz e composição, traz uma história que vem do Rio de Janeiro x São Paulo, interior e capitais, hard-rock e bossa.






<--<PÁGINA ANTERIOR

>>> A PERIFERIA É O CENTRO ! <<<


voltar
Fale com a banda